Conhecer os Vinhos e Espumantes

Conhecer os Vinhos e Espumantes
DO “Madeirense” e IG “Terras Madeirenses”

Conhecer os vinhos e Espumantes

No final da década de 70 do sec. XX, a Região iniciou os estudos da adaptação de várias castas Regionais, nacionais e estrangeiras, para a produção de vinhos tranquilos. Em 1984, foram plantados 3 campos experimentais (Estreito da Calheta, Preces e Arco de Jorge) com uma seleção inicial de 64 castas provenientes da Madeira, de Portugal continental, França, Itália e Alemanha. Estas experiências acontecem no âmbito de um projeto desenvolvido pela Direção Regional de Agricultura. Paralelamente iniciou-se também a seleção clonal das castas tradicionais da Madeira, com uma população inicial oriunda de várias zonas da ilha da Madeira, num total de 82 clones, distribuídos por 7 castas [Sercial, Verdelho, Malvasia-Fina (sin. Boal), Malvasia Cândida, Malvasia-Cândida-Roxa, Folgasão (sin. Terrantez) e Bastardo].

Em 1994, finda a primeira fase de experimentação, que compreendia tanto a parte agronómica (produção, adaptação climática, resistência a doenças e pragas, etc.) como a parte enológica (microvinificações, caracterização química dos mostos, caracterização química e organolética dos vinhos), iniciou-se a segunda fase da experimentação, que viria a terminar em 2003. Nesta 2ª fase os campos experimentais afetos a esta seleção foram novamente replantados com as castas e clones que tinham demonstrado melhor aptidão para a produção de vinhos tranquilos.

Fruto dos resultados que se começaram a desenhar, alguns viticultores lançaram-se neste novo desafio dos vinhos tranquilos e assim, se iniciaram por volta de 1993 as primeiras plantações destinadas exclusivamente a este tipo de vinho.

Em 1999, é publicada a Portaria n.º 86/99, de 12 de maio, na qual se definem os requisitos a que devem obedecer os vinhos de forma a serem reconhecidos como provenientes da Denominação de Origem (DO) «Madeirense». Mais tarde, em 2004, é publicada a Portaria n.º 86/2004, de 2 de abril, a qual confere aos vinhos de mesa produzidos na Região Autónoma da Madeira a possibilidade de usarem a menção “vinho regional”, seguida da Indicação Geográfica (IG) «Terras Madeirenses», para os vinhos tranquilos brancos, tintos e rosados ou rosés.

Com a publicação em 2015 do Decreto Legislativo Regional n.º 1-A/2015/M, de 9 de janeiro, que estabelece as disposições gerais aplicáveis à vitivinicultura na Região Autónoma da Madeira e da Portaria n.º 40/2015, de 13 de fevereiro, a DO «Madeirense» e a IG «Terras Madeirenses» passaram a poder ser utilizadas, não só nos vinhos branco, tinto e rosé ou rosado, mas ainda, pelo vinho espumante, vinho espumante de qualidade, pela aguardente vínica e vinagre de vinho, desde que obedeçam às condições impostas pelos respetivos estatutos e demais legislação aplicável.

Em 2017, com a publicação da Portaria n.º 395/2017 e da Portaria n.º 396/2017, ambas de 9 de outubro, foram estabelecidos os regimes atuais aplicáveis à produção e comércio de vinho, vinho espumante, vinho espumante de qualidade, aguardente vínica e vinagre de vinho com DO «Madeirense» e com IG «Terras Madeirenses».

Região Vitivinícola

A área geográfica da DO «Madeirense» e da IG «Terras Madeirenses», conforme representação cartográfica constante do Anexo Único ao Decreto Legislativo Regional n.º 1-A/2015/M, de 9 de janeiro, corresponde à Região Demarcada da Madeira (RDM) e como tal abrange as ilhas da Madeira e do Porto Santo.

Castas de Uvas Aptas à Produção de Vinho e de Vinho Espumante com DO «Madeirense» e com IG «Terras Madeirenses»

Código Nome Sinónimo Cor
PRT40701 Alvarinho-Lilás b
PRT52603 Aragonez Tinta-Roriz, Tempranillo t
PRT52311 Arinto Pedernã b
PRT40602 Arnsburger b
PRT52803 Bastardo t
PRT53606 Cabernet-Sauvignon t
PRT50914 Caracol b
PRT53511 Chardonnay b
PRT53512 Chenin Chenin Blanc b
PRT50201 Complexa t
PRT41707 Deliciosa t
PRT52709 Folgasão Terrantez (1) b
PRT41605 Listrão r
PRT51009 Malvasia-Bianca b
PRT50911 Malvasia-Cândida b
PRT50810 Malvasia-Cândida-Roxa r
PRT40604 Malvasia Branca-de-São-Jorge Malvasia (1), Malvazia (1) b
PRT52512 Malvasia-Fina Boal (1), Bual (1) b
PRT53013 Malvasia-Rei b
PRT50518 Merlot t
PRT40705 Moscatel-Graúdo Moscatel-de-Setúbal (2) b
PRT53706 Pinot-Noir t
PRT40809 Rio Grande b
PRT53211 Sauvignon Sauvignon-Blanc b
PRT40505 Sercial Esgana-Cão b
PRT41407 Syrah Shiraz t
PRT52910 Tália Ugni-Blanc, Trebbiano-Toscano b
PRT52905 Tinta-Barroca t
PRT51202 Tinta-Negra Molar, Saborinho t
PRT52205 Touriga-Franca t
PRT52206 Touriga-Nacional t
PRT50317 Verdelho b
PRT41509 Triunfo t
(1) Apenas na rotulagem do vinho com DO «Madeira».
(2) Apenas na rotulagem do VLQPRD de Setúbal.
B – Casta branca; T – Casta tinta; R – Casata rosada.

Adega de São Vicente

Dada a dimensão das explorações vitícolas, não ser favorável ao investimento em adegas particulares, o Governo Regional decidiu, no final da década de 90 do século passado, apoiar e incentivar os produtores de vinho tranquilo através da construção de uma adega, prestadora de serviços, que disponibiliza a tecnologia e a enologia para a produção de vinhos de qualidade.

Em 1999, a Adega de São Vicente labora pela primeira vez, tendo uma capacidade instalada de aproximadamente 100.000 litros, sendo inaugurada oficialmente em 2000. Posteriormente, a Adega de São Vicente foi alvo de diversos investimentos com o objetivo de aumentar a capacidade de armazenamento e capacidade de laboração, assim como a introdução de novas tecnologias que visaram a melhoria da qualidade do produto final

A ASV disponibiliza, mediante uma inscrição anual, os seguintes serviços de vinificação:

  • Espaço, Equipamento e Enologia (EEE);
  • Espaço e Equipamento (EE);

De acordo com o tipo de contrato efetuado, a ASV responsabiliza-se e efetua todo o trabalho de vinificação até ao engarrafamento do vinho (contrato EEE) ou efetua todas as operações até ao engarrafamento, mediante as indicações do utente (contrato EE). É da responsabilidade dos utentes o fornecimento de todo o material de engarrafamento (garrafas, rolhas, rótulos, cápsulas, etc), assim como a entrega de todos os produtos que pretendam utilizar e que não façam parte do plano de vinificação.

Fruto dos vinhos laborados na ASV, existem no mercado mais de 15 marcas de vinhos com DO ou IG brancos, tintos e rosé ou rosados.

A ASV tem ainda disponível, um serviço de Engarrafamento, que permite a um produtor engarrafar vinhos produzidos fora da ASV, desde que cumpra a legislação e as normas em vigor.

Gráfico 1: Evolução da recepção de uvas na ASV de 1999 a 2018

Gráfico 1: Evolução da recepção de uvas na ASV de 1999 a 2018

Gráfico 2: Relação entre a quantidade de uvas brancas e tintas rececionadas anualmente

Gráfico 2: Relação entre a quantidade de uvas brancas e tintas rececionadas anualmente

Produção e Comercialização de Vinho com DO «Madeirense» e com IG «Terras Madeirenses» na Região Autónoma da Madeira (RAM)

Produção de vinho com DO «Madeirense» e de vinho com IG «Terras Madeirenses» na RAM

Na Campanha Vitivinícola de 2018-2019(*) foram produzidos 1.303 hectolitros de vinho com DO «Madeirense» e 144 hectolitros de vinho com IG «Terras Madeirenses».

(*) A campanha vitivinícola decorre desde o dia 1 de agosto de cada ano, até ao dia 31 de julho do ano seguinte.
Comercialização de vinho com DO «Madeirense» e de vinho com IG «Terras Madeirenses»

Em 2018, a comercialização de vinho com DO ou IG foi cerca de 1.301 hectolitros, sendo 1.001 hectolitros vinho com DO «Madeirense» e 300 hectolitros vinho com IG «Terras Madeirenses».

De acordo com a comercialização de vinho com DO «Madeirense» e de vinho com IG «Terras Madeirenses», em 2018 os vinhos mais comercializados foram os vinhos brancos, com cerca de 56,4 %, seguidos dos tintos com 25,3 %. Os vinhos rosados corresponderam a cerca de 18,3 % da comercialização.

Evolução da produção e comercialização de vinho com DO «Madeirense» e de vinho com IG «Terras Madeirenses» de 2009 a 2018

Ano Vinho com DO «Madeirense» Vinho com IG «Terras Madeirenses»
Produção
(litros)
Comercialização Produção
(litros)
Comercialização
Quantidade 1
(litros)
Valor Quantidade 1
(litros)
Valor
2009 125 994 61 963 379 174,01 € 22 321 19 601 113 400,03 €
2010 96 203 62 985 467 222,99 € 15 631 12 406 59 853,17 €
2011 110 754 77 376 593 915,91 € 17 652 37 227 210 552,58 €
2012 94 289 64 385 493 754,13 € 26 354 14 888 83 466,74 €
2013 126 973 73 927 571 127,57 € 3 548 14 442 73 454,70 €
2014 107 389 100 087 824 037,44 € 11 434 12 485 73 652,18 €
2015 119 491 76 785 647 794,06 € 5 970 13 847 76 309,36 €
2016 103 463 87 174 694 769,18 € 16 222 12 752 72 990,64 €
2017 152 177 85 864 721 603,40 € 13 594 14 483 88 985,07 €
2018 130 293 100 085 934 526,59 € 14 455 30 036 193 233,40 €
1 Quantidade engarrafada entre 1 de janeiro e 31 de dezembro.